26 de abril de 2012

As grandes limitações de ser pouco racional

Não quero entrar pelo choradinho dos românticos do futebol.
Sei que faço parte desse grupo e gosto muito mais de ver uma equipa que pratica futebol bonito e vistoso do que ver uma equipa com milhões e milhões investidos em mega-estrelas internacionais remetida à sua grande área e ganhar os jogos com um ou dois rasgos de pontapé para a frente e velocidade.
Foi o que se viu na ultima semana, por mais que uma vez.
Acontece. Não gosto mas, dependendo dos casos, até compreendo que assim o façam. O futebol de hoje, a nível de clubes (não de adeptos) é um negócio quase sem paralelo e os resultados sempre falaram mais alto que as exibições. E quando há milhões em jogo, é quase ensurdecedor (quem não gostou desta analogia, azar, temos pena).

Faz-me alguma confusão a guerra que se faz neste país, actualmente, à conta de equipas de futebol de outros países. Apontam-me o dedo inquisitório, como se eu devesse alguma coisa a gajos que nasceram no meu país e foram lá para fora, ganhar rios de dinheiro a fazer uma coisa que preferia que fosse eu.
Ou que tenho alguma obrigação em apoiar portugueses ricos, mimados e arrogantes só porque são do mesmo país.
Como se do meu apoio a esses endinheirados endeusados dependesse a independência do nosso país contra as invasões bárbaras.

Claro que as pessoas têm gostos diferentes, e eu respeito-os. Não percebo é porque não podem respeitar os meus, só porque o Barcelona actualmente não tem portugueses ou porque o Messi é baixo, não tem uma namorada tão boa como o Crisnaldo ou... não tem nacionalidade portuguesa - como tal parece que eu teria uma obrigação de achar o português melhor. Aceito, apesar de não concordar, quem o ache.

O que me escapa é eu entrar em discussões sobre alguns destes assuntos e chegar a um ponto em que me respondem:

"- Ah e tal, são tão bons, tão bons, mas o que é certo é que o teu querido Barça foi eliminado logo na terça feira enquanto que o Mourinho aguentou-se até quarta-feira."



Há certos patamares de racionalidade aos quais simplesmente não consigo chegar...


PS - sobre o jogo de mais logo, eu bem queria desejar boa sorte aos meus caros co-editores de blog, mas fico dividido quando me lembro da ameaça do Quim Berto postar uma foto dele nu... ainda por cima já deu um primeiro passo: meteu uma do Crisnaldo sem que seja fotomontagem a gozar com o que quer que fosse (nem que fosse aquela a gozar com o tamanho do Messi, que já está batida por aí na net)...

PPS - toda a minha vida fui anti-madridista, não gosto deles. Fazem parte do restrito grupo de clubes que não consigo gostar de maneira nenhuma, e estão bem lá no topo, empatados com o Manchésta O Naite, bem atrás do clube-dos-dirigentes-assumidamente-corruptos, e junto a mais uns quantos (alguns clubes italianos e franceses, também). Não era por terem lá jogadores portugueses que eu ia mudar do dia para a noite. Vejam bem que gosto tanto deles que, depois da eliminação do Barça, vi-me forçado a puxar pelo Bayern (clube que também não gosto por aí além) para vencer esta edição da Champinhons Lig.

2 Comentários:

Blogger Quim Berto disse...

Patrão,

Quer queiras quer não, eu sou um homem de palavra! Mas para que tal aconteça ainda dois jogos faltam disputar. Estás tu com mais fé no Sporting do que eu.

Quando ao post, eu também fui um romântico do futebol. Deixei de o ser no ano do Sporting treinado pelo Mirko Jozic. Foi nesse ano que vi a realidade. Infelizmente o que interessa são os resultados.

Falando do Barcelona, nada me move contra o clube. Sinceramente é a melhor equipa do mundo mas eu se fosse jogador de futebol,contra o Barcelona, era sempre expulso. Aquele jogo da rabia dá com qualquer adversário em louco.

26/4/12 12:52 da tarde  
Blogger pitons na boca disse...

Quim,

não estou a dizer para deixares de ser um homem de palavra. Podias era ter usado as palavras de outra maneira a que eu não sentisse medo Não é que tenha grande fé no Sporting ou deixe de ter. Tenho é medo, porque as leis de Murphy assombram-me constantemente, e aposto que o Murphy é gajo para fazer de tudo para que a foto venha cá parar...

Acerca da tua ultima frase, compreendo. Eu, antes de ser expulso, teria gritado e chamado todos os nomes aos meus colegas de equipa, por andarmos a jogar ao meio... só depois é que vinha a expulsão. :P

26/4/12 12:58 da tarde  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial